Notícias
Solsef
Abraçar a Missão 2018 - os voluntários

A LIAM, MOMIP e os Missionários do Espírito Santo juntam-se, uma vez mais, à Solsef para em parceria desenvolverem um projeto de voluntariado internacional. Este ano, contamos com 13 voluntários e um padre Missionário que irão partir para Lembá (em São Tomé e Príncipe) para partilharem os seus conhecimentos com a comunidades local, contribuindo para a sua sustentabilidade.


Filomena Inocêncio, tem 65 anos e pertence ao MOMIP. É voluntária no CEPAC, na Cáritas, na paróquia a que pertence e, ainda, numa Universidade da 3ªidade e numa Instituição de ATL. Realiza este projeto de voluntariado por sentir que a sua vocação é servir "os mais esquecidos na sociedade”.


Vera Coelho, de 61 anos, também parte nesta missão para "ir ao encontro de quem precisa de ajuda”. Pertence à LIAM e tem experiência no cuidado aos idosos, trabalhando num centro social para a 3ª idade.


Teresa Silva faz parte do grupo da LIAM de Pousos (Leiria) e tem experiência na área do voluntariado, participando na Animação Missionária de Centros de Dia, Lares de 3ªidade e visitas a idosos ao domicílio. A motivação que a levou a participar no Abraçar a Missão, foi o facto de acreditar que o seu "projeto de vida, após deixar de exercer a sua profissão [de Educadora de Infância] é de contribuir para o bem-estar dos que mais precisam”.


Padre Nuno Rodrigues é licenciado em Teologia e sacerdote missionário. Esteve 14 anos em Cabo Verde, onde foi missionário e 1 mês em Angola, em voluntariado. Por fazer parte da sua "essência como missionário”, vai em Missão e vai com "vontade de partir e de ir ao encontro de outros povos e culturas”, sendo "feliz ajudando os outros a serem felizes.


Catarina Fontainhas tem 43 anos e é médica dentista. Pertence ao Grupo da LIAM de Linda-a-Velha e é o "facto de ser cristã” que a leva "a servir o próximo” e a "dar essa felicidade a outros povos”.


Adelino Ferreira de 50 anos, operário de molduradora, já fez voluntariado em diferentes movimentos da paróquia a que pertence, fazendo parte do grupo da LIAM de S. Pedro de Rates. Inscreveu-se neste projeto de voluntariado internacional por "amor ao próximo” e pela "vontade de ajudar os mais necessitados”.


Susana Bandeira também pertence ao grupo da LIAM de S. Pedro de Rates, tem 46 anos e é escriturária. O que a levou a participar neste projeto foi a necessidade "de ajudar o próximo” e o facto de "ser feliz com a felicidade dos outros”.


Lurdes Pereira é Educadora de Infância e pertence ao MOMIP. Tem 58 anos e faz parte do grupo de voluntários do Abraçar a Missão por "amor ao próximo” e por ter "a possibilidade de dedicar algum tempo ao serviço dos outros”.


Júlia Messias é comerciante e tem 62 anos. Colabora em várias tarefas na pastoral e faz parte do grupo da LIAM. Parte para a Missão de Lembá porque fica feliz "no dar e no dar-se ao próximo”.


Fernando da Silva de 56 anos, é empresário na construção civil, e pertence à LIAM. Ainda não tem experiência em voluntariado, por isso, o Abraçar a Missão chega como a concretização do sonho de "ajudar o mundo a ser um pouco melhor".


Maria Luísa da Silva pertence à Conferência S. Vicente de Paulo e à LIAM. Tem 51 anos e é gestora do lar. Parte com vontade de "puder ajudar os outros”.


Rosa Martins de 55 anos, é empregada de condomínio e faz parte do grupo da LIAM de Castelo do Neiva (Viana do Castelo). Trabalha ao serviço da Comunidade em grupos e associações e vai em missão para "conhecer de mais perto a realidade deste povo” e para contribuir com o seu "esforço e trabalho para melhorar um pouquinho a vida” da comunidade que a irá receber.


Deotilde Saraiva tem 74 anos e, neste momento, está aposentada, depois de uma carreira como professora do Ensino Básico. Pertence ao MOMIP e faz voluntariado em vários sítios, nomeadamente na paróquia a que pertence, no Centro de Saúde e no Centro de Acolhimento Social da Misericórdia; onde passa algum do seu tempo com os utentes "ouvindo-os, conversando, cantando…”. Faz também parte de um grupo de cavaquinhos, cuja finalidade é visitar lares, centro de convívio e escolas "para lhes levar um pouco de alegria”. O que a move em ir voluntariado? "O mesmo que até aqui: dar sempre o melhor e ir com os olhos bem abertos para receber o que a comunidade tem para partilhar”.


Mónica Ferreira é licenciada em Economia e trabalha no Colégio Boa Nova, no Estoril, na área de Controle de Gestão. É também tesoureira da Sol sem Fronteiras e foi com a Solsef que realizou dois projetos de voluntariado internacional, em Kalandula (Angola) e na Guiné-Bissau. Parte para São Tomé e Príncipe para, em grupo, "dar formação, ajudar no que for preciso” e, para "estar com o povo”, escutá-lo, "rir e cantar com eles” que é "o mais importante”.

 

Estes são os voluntários que se inscreveram no projeto Abraçar a Missão, no ano passado. Desde então, têm organizado encontros de preparação e eventos de angariação de fundos para conseguirem apoiar a comunidade de Lembá o mais possível, contribuindo para o seu desenvolvimento sustentável.




O Sol nasce para todos
Organização Não Governamental para o Desenvolvimento
Facebook Youtube Instagram LinkedIn
Copyright 2021 Sol Sem Fronteiras Todos os direitos reservados
Design by: www.mediaminds.pt