Notícias
Solsef
Aprender Vivendo | Balanço após o projeto II

No dia de ontem partilhamos os testemunhos da Alicia, da professora Cristina e da Andresa, voluntárias do projeto Aprender Vivendo, que decorreu em Contuboel (Guiné-Bissau), durante o passado mês de julho. Todas coincidiram no quão importante que está a ser esta experiência nas suas vidas, e através das suas palavras em primeira pessoa, permitiram aproximarmo-nos das aprendizagens e emoções que ficaram nelas após a sua passagem por Contuboel. Hoje é a vez para descobrir-mos os testemunhos dos restantes voluntários, o David, o  Gonçalo, a Jessica e a Mariana:


David Cardoso

"A Guiné-Bissau, foi pó, verde, sol, energia, dança, música, amor, carinho, luta, resistência e tudo no meio de buracos na estrada. Ela arrebatou-me sem avisar e levou o meu coração com ela. É difícil pôr por palavras o que sinto. Sinto ainda por vezes o quente embraço daquele povo que tão bem nos recebeu, quase com carinho de mãe. Espero honestamente ter deixado lá algum tipo de marca, não física, mas nas suas memórias, espero que através das minhas atitudes eu tenha conseguido amar, como a mim me amaram."



O David com as crianças de Contuboel


 

Gonçalo Domingos

"Na Missão Católica Irmã Valdelícia, em Contuboel, encontrei paz! Paz na casa que nos acolheu, nas tabancas, nas conversas com os Homens Grandes, nos diálogos impressionantes com os líderes religiosos, na alegria e nos sorrisos que as crianças nos abraçam, mesmo sabendo, que por de trás da beleza desta paz, guardam grandes histórias de vida. Partilhar o dia a dia com a minha família missionária não foi fácil, mas "quando enfrentamos juntos os desafios, então somos mais fortes” (Papa Francisco) e torna-se tão simples a nossa missão."



 Uma menina a ensinar a brincar ao Gonçalo


 

Jessica Sousa

"Ainda não existem as palavras certas para descrever o quanto Contuboel representa na minha vida. Sem dúvida, o que era o meu papel nesta missão se tornou muito mais naquilo que eu poderia sonhar. Esta missão foi um abrir de "uma porta estreita” que eu pensava que estava pronta para viver, mas que se tornaram em momentos irreversíveis para a minha vida. Desde o apoio escolar a uma criança com necessidades educativas especiais, ao toque de cada criança, ao reacender da minha vocação missionária, até àquelas histórias de vida que ainda hoje não consigo ficar indiferente. Vim de Contuboel com o coração apertado e com o compromisso de voltar."



A Jessica e a Alicia numa das aulas de reforço de português


 

Mariana Gomes

"Fazer voluntariado”…Voluntariado internacional sempre foi um projeto de vida e nesta missão percebi que é muito mais importante "ser” voluntário do que apenas "fazer” voluntariado, pois a diferença reside na entrega completa àquela comunidade e a cada pessoa daquela missão. Posso afirmar que os sentimentos que mais estiveram presentes durante todo o mês foram a paz e o sentimento de pertença, mas acima de tudo, o respeito intercultural. Agora, penso na alegria dos alunos daquela escola quando virem a sala pintada, o espaço para brincarem e a biblioteca organizada.



A Mariana num momento de convívio 

 

Este projeto de voluntariado de curta duração foi possível graças à parceria entre o Agrupamento de Escolas de Atouguia da Baleia, o Agrupamento de Escolas de Peniche, a Escola Secundária de Peniche e a Sol sem Fronteiras

O Sol nasce para todos
Organização Não Governamental para o Desenvolvimento
Facebook Youtube Instagram
Copyright 2019 Sol Sem Fronteiras Todos os direitos reservados
Design by: www.mediaminds.pt