Notícias
Solsef
Ponte 2021 | Testemunhos pós projeto

No passado mês de agosto realizou-se  o projeto de voluntariado Ponte 2021. Um grupo de 7Jovens Sem Fronteiras acompanhados pelo Padre Vitor Ferros, da congregação dos Missionários do Espírito Santo, viajaram até São Paulo, no Brasil, para conhecer uma nova realidade e conviver com pessoas de uma cultura diferente. Através das suas partilhas, poderemos conhecer o que ficou da experiência nos jovens portugueses. 


Andraws Santos

É com muita dificuldade que tento passar para "papel” tudo aquilo que vivi no Brasil. Diria, até, que é impossível, mas cá vai!

 

Tudo o aquilo que previ, expetativas, saíram completamente ao lado. Pelo melhor ou pelo pior? Não sei. Foi o que Deus quis.

 

A realidade que encontrei chocou-me, de certa forma. A "desorganização” nas cidades, o trânsito caótico, o excesso de lixo no chão. Tudo isso deixou-me de pé atrás. Dentro dos meus padrões, daquilo que encontro na minha vida, foi algo que me incomodou. Tudo isto contrastou com o magnífico acolhimento que recebemos à nossa chegada no aeroporto. O entusiamo dos jovens e do padre Élson foi tão contagiante que me impulsionou, motivou, a querer estar mesmo lá de corpo e alma.

 

É tudo tão diferente. Como o povo vive e sente a religião. Tudo tão íntimo e simples. Foi o maior aprendizado que trouxe do Brasil. A simplicidade é muito efetiva!

 

O acolhimento que recebemos por todas as pessoas das comunidades da paróquia da santa Teresa de Calcutá e da Vila Prudente foram extraordinários, nunca vi igual. Não havia muito que inventar para fazer por lá porque apenas a nossa presença enchia o coração daquele povo. A troca de culturas e histórias. Todos os sorrisos das crianças, os abraços, as lágrimas, tudo teve o seu significado que me foram mudando por dentro.

 

Para mim, foi um momento de largar preconceitos errados que tinha e criar outros. Ainda estou a processar muita informação e sentimentos.

 

Sem dúvida que este projeto criou laços mais fortes com Deus. Pôs a minha vida em perspetiva, pensar naquilo que realmente é mais importante. O importante é aceitarmos o plano, a missão que Ele tem para nós. Com medo, porque faz parte, com dúvidas, mas tendo sempre em mente que este é o Caminho da salvação.

 

Agradeço muito esta oportunidade, mudou a minha vida. Agora é tempo de testemunhar aquilo que recebi.

 

Como escrevi na minha carta de candidatura – agora faz mais sentido – "Se não vivo para servir, não sirvo para viver”.


Ponte 2021 - Testemunho de Andraws Santos

Imagem escolhida pelo Andraws para ilustrar a sua partilha

 

Gabriela Loureiro

Viver é sentir que ao nosso redor outros corações batem com intensidade e neste ritmo acontece a vida de cada um, o mundo gira e recria-se a cada momento. Este Projeto Ponte foi longo e tivemos tempos que, devido ao isolamento, foi difícil sentir e ouvir os corações de cada um de nós. Após 2 anos de formação e alguns picos de tensão cardíaca partimos para São Paulo e a quase 10 horas de distância de avião de Portugal, encontramos corações vibrantes ao ritmo do samba, quentes e abertos para nos acolher. Esta missão foi um encontro com uma comunidade que estava a nascer, a Paroquia de Santa Teresa de Calcutá. Encontramos um povo que em comunidade, diariamente, se apoia e partilha as dificuldade e felicidades da vida. Que te chama pelo nome para ajudar e partilhar da construção da paróquia, que convida o desconhecido para sua casa para que este se torne seu amigo. Na memória trago as conversas e partilhas de vida com quem me cruzei e no coração os abraços acolhedores e familiares que recebi.


Ponte 2021 - Testemunho de Gabriela Loureiro

A Gabriela durante uma das atividades do projeto



Marisa Alves
Existe muitas palavras que usamos no nosso quotidiano que as comunidade que conheci em São Paulo me mostraram o seu real significado. Por exemplo, aprendi que acolher é algo que se faz braços abertos, com tudo o que se pode oferecer, com carinho, alegria, curiosidade e sem nenhum preconceito. Que igreja viva, é uma igreja que, literalmente, olha pelo o outro e pergunta como ele está e o que precisa, não como forma de fazer conversa, mas de ajudar com o que poder das mais diversas formas. Deus fez-nos irmãos, e aprendi que para cuidar do irmão não é preciso muito mais do que força de vontade, amor e dar do nosso tempo.


Marisa Campos 
A palavra "Missão” está-me no coração desde muito cedo. Desde que comecei a fazer escolhas para o meu futuro soube que o meu caminho tinha que ser feito a servir. Inscrevi-me no Projeto Ponte porque queria dar mais um passo nesse meu caminho e sabia que teria muito espaço para crescer. O que eu não sabia era que este projeto ia moldar tanto a minha vida.


A Paróquia de Santa Teresa de Calcutá é constituída por 7 comunidades. Em cada uma delas fomos acolhidos como se fôssemos filhos. Em todas encontramos pessoas muito alegres, genuínas e sobretudo humildes. Almoçámos e jantámos com muitas famílias. Cantámos, dançámos e partilhámos histórias em suas casas e em cada convívio senti que não tínhamos como agradecer tanto carinho que recebíamos. Sentir os sabores brasileiros dava-me muita vontade de aprender a cozinhar tudo para trazer para casa. A mandioca, a farofa, as saladas, as sobremesas com leite condensado! Tudo tinha sabor a amor e cuidado, e são esses os temperos que espero trazer na minha vida. Mas o que me enchia o coração era a generosidade e as histórias das pessoas que nos acolhiam. Essas, trago no coração e espero um dia ter as palavras certas para as transmitir.


Agora que já regressei a Portugal, sinto-me imensamente agradecida. Sei que a missão estará sempre presente na minha vida porque depois de ter recebido tanto é impossível não pensar em como irei retribuir. O Projeto Ponte foi realmente uma ponte na minha vida, uma ponte que me permitiu dar mais um passo e fazer crescer ainda mais a vontade de servir.


Ponte 2021 - Testemunho de Marisa Campos

Momento de convívio com a comunidade


Sandro Ferreira

O projeto ponte permitiu-me conhecer novas realidades, culturas e também muitas pessoas com histórias de vida e personalidades bastante interessantes. Senti-me acolhido com uma facilidade e simplicidade que não estava habituado. Aprendi bastante com o empenho e a motivação que o padre Elson tem ao trabalhar na sua paróquia que está a dar os seus primeiros passos. Por fim, esta experiência mostrou-me que para servir não é preciso seguir um protocolo em que todos fazem tudo igual, o que interessa é sermos felizes a servir, mesmo que os outros critiquem ou não entendam. 

 

Simone Fernandes 

O mês do agosto durante o Projeto Ponte resume-se a uma palavra simples: COMUNIDADE.


O verdadeiro significado desta palavra para uma cristã como eu só se materializou de verdade lá. Ver a entreajuda e a união para criarem espaços seguros para crescerem juntos. Celebram alegremente as conquistas e a fé, apoiam-se nas dificuldades e servem lado a lado.


As pessoas do Limoeiro e da Vila Prudente são a o testemunho vivo de que a maior das pobrezas é mesmo a falta de amor. O amor e carinho que senti nestas comunidades inspira-me a se, a estar, a contribuir, a olhar para o outro. A acreditar que eu posso mudar o mundo, a começar por mim, pela minha casa, pela minha comunidade. Desafiou-me a responsabilizar-me para a verdadeira missão: a construção pelo Amor.


Ponte 2021 - Testemunho de Simone Fernandes

Os pontistas durante uma eucaristia


 


 


 

O Sol nasce para todos
Organização Não Governamental para o Desenvolvimento
Facebook Youtube Instagram LinkedIn
Copyright 2021 Sol Sem Fronteiras Todos os direitos reservados
Design by: www.mediaminds.pt