2 de Maio, 2022

Reflexões para um Voluntariado Internacional mais ético – Habilidades

Nesta altura do ano, mais que em qualquer outra, muitas pessoas solidárias começam a pensar em partir em voluntariado internacional. A intenção é nobre e os resultados, se o projeto está bem realizado, são muito positivos para todos os implicados. No entanto, existem efeitos muito negativos derivados dos projetos de voluntariado internacional que se realizam de uma forma pouco responsável. Neste casos, longe de ser beneficiosos, até podem criar obstáculos para o desenvolvimento local. A fim de evitar isto, é preciso realizar algumas reflexões para um voluntariado internacional mais ético e, por isso, hoje iremos falar sobre as habilidades do voluntário/a.

Escolhe projetos que precisem das tuas habilidades

Uma das coisas mais relevantes à hora de escolher um projeto de voluntariado internacional é apostar naquele que precise das tuas habilidades. Sem dúvida, esta é uma das formas mais simples para garantir que a tua participação traz um impacto positivo para a comunidade.

Isto não quer dizer que não estejas disponível para aprender novas coisas. O voluntariado internacional é uma ação de intercâmbio onde aprenderás sobre uma nova cultura. Além disso, tem um lado humano que te ajudará a desenvolver habilidades como a comunicação e a empatia.

No entanto, para garantir que a tua contribuição para o projeto é estruturada e positiva, o melhor é apenas aplicar as habilidades técnicas que já tens. Por exemplo, poderás ajudar na contabilidade se tiveres formação em gestão ou ajudares na organização de uma oficina de artes plásticas se és artista.

Neste sentido, também é importante refletir sobre o contexto. Enquanto voluntário internacional é importante que tomes consciência de que todas as pessoas e culturas têm as suas crenças, as suas aprendizagens e a sua forma de agir. Num projeto desta natureza a tua forma de trabalhar poderá ser muito diferente do método local. Nesse caso, será importante que tenhas abertura para que a experiência se torne numa aprendizagem mútua.

Em resumo, participar em projetos que usem as tuas habilidades é apenas uma das reflexões para um voluntariado internacional mais ético. Contudo, ainda ficam muitas reflexões por partilhar. Durante os próximos dias continuaremos a investigar sobre este assunto, assim que fica o convite para acrescentares os teus pontos de vista a esta importante conversa. Participa nos comentários!