A que nos dedicamos

O nosso trabalho desenrola-se em quatro áreas principais: Cooperação para o Desenvolvimento, Educação para a Cidadania Global, Inclusão e Formação.

A nossa história

A Solsef foi fundada a 21 de outubro de 1993 por Maria Brígida Domingues, Firmino Cachada, Manuel Bento e Victor de Sá Sequeira, sob o sonho de se fazer mais pelo desenvolvimento humano e pela justiça social nos países em desenvolvimento.

Missão

A Solsef promove o desenvolvimento integral e integrado dos jovens, proporcionando-lhes o acesso a cuidados de saúde, educação e também o desenvolvimento humano e económico das suas comunidades. Para cumprir esta missão, a Solsef desenvolve projetos sustentáveis em países em desenvolvimento, em parceria com os missionários e os lideres de associações locais, contando com a participação de jovens com formação e preparação adequadas. Também intervém ativamente na sensibilização da juventude portuguesa para a solidariedade, potenciando o voluntariado como veículo de intercâmbio e formação entre jovens.

Visão

Viver num mundo com igualdade de oportunidades rumo ao desenvolvimento sustentável.

Valores

Solidariedade

Com o intuito de traçar horizontes de proximidade com quem é mais desprotegido, procurar a justiça social de forma transversal e sentir a verdadeira caridade como uma missão permanente ao serviço do desenvolvimento humano sustentável.

Juventude

Com a convicção de apostar na juventude como motor do cambio para conseguir um mundo melhor e mais humanizado.

Credibilidade

O rigor, a transparência, a idoneidade e a independência são as marcas do crédito necessário para desenvolver projetos sociais com impacto positivo nas comunidades.

Sustentabilidade

Apostar na continuidade local é, por um lado, estar ao lado de quem precisa, quando precisa, mas proporcionar, em simultâneo, as condições e ferramentas para que não volte a precisar. Por outro lado, é uma intervenção orientada pela promoção, capacitação e desenvolvimento da autonomia das pessoas, comunidades e estruturas locais.

Sem Fronteiras

Somos cidadãos de uma “aldeia global”, sem fronteiras, que se regue pelo principio da ajuda mutua e da partilha de recursos naturais comuns como a água ou o sol.