Educar em valores

A Educação para a Cidadania Global é um processo dinâmico e participativo que procura sensibilizar e consciencializar a sociedade civil sobre os valores da justiça, da equidade e da solidariedade.

Quais os objetivos?

  1. Formar pessoas para combater estereótipos e preconceitos relacionados com outros povos e culturas;
  2. Capacitar pessoas para a compreensão crítica e a participação no desenvolvimento local e internacional;
  3. Capacitar cooperantes e agentes de cooperação públicos e privados;
  4. Contribuir para a análise crítica da cooperação e para a sua atualização permanente;
  5. Impulsar à democracia participativa e à cultura solidária;
  6. Lograr apoio social para dar credibilidade às políticas e à ação de cooperação.

Quais as formas de intervenção?

Os processos educativos desencadeados e levados a cabo no âmbito de ações de Educação para a Cidadania podem enquadrar-se em diferentes formas de intervenção que, embora muitas vezes complementares, se caracterizam por variações em relação à duração das ações, aos públicos específicos ou às metodologias aplicadas. Algumas dessas formas de intervenção são as seguintes:

  1. Sensibilização: alertar para problemáticas e situações, causas e alternativas justas, equitativas e solidárias, despertando questionamentos, reflexões e vontade de conhecer, aprender mais e agir em coerência;
  2. Intervenção pedagógica: promover a aprendizagem da leitura crítica das desigualdades locais e globais, num contexto de interdependência e de identificação das suas causas, e a mobilização para o compromisso com a transformação destas realidades;
  3. Influência política: fornecer argumentos a pessoas ou instituições com poder para tomar decisões significativas, de modo a que respeitem compromissos publicamente assumidos e possam mudar as políticas vigentes ou infletir medidas em preparação.

Quais os setores de intervenção?

  1. Educação Formal: educação regulada de forma legislativa (Ensino Pré-escolar, Ensino Básico, Ensino Secundário, Ensino Pós-Secundário não Superior e Ensino Superior).
  2. Educação Não Formal: educação não regulada de uma forma legislativa, mas sim estruturada por objetivos e conteúdos (Associações, Fundações, ONGD, Empresas e Sindicatos).
  3. Educação Informal: educação não regulada de uma forma legislativa e não estruturada por objetivos e conteúdos – atividades da Sociedade Civil (manifestações, greves, entre outros).

Conhece todos os projetos

Literacia Financeira

Promover a “educação financeira” no âmbito da Educação para a Cidadania.

Sabe mais

Sons de bem-estar

Contribuir para o bem-estar de jovens, dos 12 aos 25 anos, através da aplicação dos princípios da Musicoterapia no âmbito da Promoção e Educação para a Saúde.

Sabe mais

Jovens e Inclusão

Trabalhar pela “Inclusão” através da sensibilização da sociedade portuguesa sobre a situação dos jovens refugiados em Lisboa.

Sabe mais

Todos Contam

Promover a “educação financeira” no âmbito da Educação para a Cidadania.

Sabe mais

Emo(can)ção

Contribuir para o bem-estar emocional em jovens, dos 12 aos 25 anos, através da aplicação dos princípios da Musicoterapia no âmbito da Educação para a Cidadania Global.

Sabe mais

A nova anormalidade

Sensibilizar sobre a “nova normalidade” sociocultural imposta pela Covid-19, no âmbito nacional e além-fronteiras, no contexto da socialização entre os jovens.

Sabe mais